Portuguesa (bairro)


Originalmente a grande área situada entre as estradas do Galeão e de Tubiacanga (hoje Governador Chagas Freitas) era ocupada por matas contínuas aos terrenos da Aeronáutica. Próximo, ficava um depósito particular de dinamite, cuja explosão em 1933, uma das maiores de nossa história, chegou a abalar portões de ferro no centro da cidade. O local, então, era mais conhecido como "Areal".
Em 1961, a Companhia Imobiliária Santa Cruz criou na região o Jockey Club Guanabara. Nessa época, a região passou a ser chamada de "Jóquei". Com a proibição de corridas de cavalos durante a semana (corria às quintas-feiras) no governo Jânio Quadros, o empreendimento fracassaria e suas instalações foram adquiridas pela Associação Atlética Portuguesa, que criou o Estádio de Futebol Luso-Brasileiro, e a região, enfim, passou a ser chamada de "Portuguesa". Sua inauguração se deu no dia 2 de outubro de 1965, na partida Portuguesa 0 X 2 Vasco da Gama.
A ideia de fundação da Associação Atlética Portuguesa do Rio surgiu após os empresários do ramo de sacos vazios e usados Constantino Paiva e Joaquim Martins Leal, em excursão a Santos (SP), em 1924, terem conhecido a Portuguesa Santista. Nessa visita, os empresários disputaram, com seus colegas e empregados, um amistoso com os representantes daquela cidade, que trabalhavam no mesmo ramo. O resultado do jogo foi 1X1 e serviu de incentivo para a fundação da Portuguesa-RJ, uma vez que a maioria dos participantes do jogo eram portugueses e, ainda vários (da cidade de Santos), eram simpatizantes da Portuguesa Santista.
De volta ao Rio, resolveram se organizar para um "jogo contra". Foi quando que, em 17 de dezembro do mesmo ano, Luiz Gomes Teixeira (primeiro presidente ratificado pelos estatutos de 2 de janeiro de 1925), patrões e empregados do ramo de sacaria fundaram um clube também chamado Associação Atlética Portuguesa. A primeira sede foi na Rua Visconde de Itaúna, 201, no centro da cidade (rua extinta para abertura da Avenida Presidente Vargas, nos anos 40).
Apesar de ter sido fundada para prática do futebol em 1924, a Associação Atlética Portuguesa somente se filiou a uma liga em 1926. A equipe participou dos campeonatos da primeira divisão de 1933 e 34, na Amea, de 1935 e 36, e na Liga Carioca e como agregada, em 1937, na Liga de Futebol do Rio de Janeiro. A Portuguesa chegou a ser campeã na Associação de Futebol do Rio de Janeiro, em 1939. Já em 1949, se filou ao Departamento Autônomo e participou dos seus primeiros campeonatos, voltando ao cenário principal do futebol em 1953.
A Portuguesa também teve as suas façanhas internacionais. A equipe fez excursões à Europa em 1955, 56, 68 e 69. Nesse último ano, venceu o Real Madrid por 2 a 1, no Santiago Bernabeu. A equipe possui mais de 130 jogos internacionais.
Outro momento histórico ocorreu em 1976, quando a Portuguesa se sagrou campeã do Torneio Internacional Otávio Pinto Guimarães, ao ganhar do Benfica de Portugal na final realizada no Estádio São Januário, no Rio de Janeiro.
O Estádio Luso-Brasileiro viveu grande momento em 2005, quando uma parceria com o Botafogo, o Flamengo e a Petrobras colocaram estruturas metálicas tubulares em todo o trecho disponível do Estádio, aumentando sua capacidade para 30 mil torcedores, na disputa do Campeonato Brasileiro daquele ano. Ficou conhecida como "Arena Petrobras".
A denominação, delimitação e codificação do bairro foi estabelecida pelo Decreto nº 3.158, de 23 de julho de 1981, com alterações do Decreto nº 5.280, de 23 de agosto de 1985.

Agradecimentos a Jaime Moraes, por parte das informações
Fonte: Portal Rio Geo (http://portalgeo.rio.rj.gov.br) e www.aaportuguesario.com.br
Mapa: Portal Rio Geo (http://portalgeo.rio.rj.gov.br)
Foto: J.C.Cardoso

PRINCIPAL