Rua Pinto Alpoim (Jardim Guanabara) - CEP: 21940-230


José Fernandes Pinto Alpoim (às vezes, creditado "Jozé", com "z"; por outras, creditado "Alboim", com "b" ou ainda "Pinto DE Alpoim", ou até mesmo "Jozé Fernandez Pinto Alpoyn", como sua própria assinatura indica [na reprodução]) nasceu em Viana do Castelo (Portugal) a 14 de julho de 1700.
Foi um militar português e um dos principais nomes da arquitetura do século XVIII no Brasil colonial, particularmente no Rio de Janeiro.
Sua vida escolar começou com os estudos militares na Academia de Viana do Minho, que ocorreram sob a orientação de seu padrinho e avô Manoel Pinto Villa Lobos. posteriormente aprofundou seus estudos na Academia Militar em Lisboa. Nos Arquivos Nacionais da Torre do Tombo encontra-se a carta patente de Alpoim como sargento-mor de Artilharia, datada de 19 de agosto de 1738. Esse documento possibilitou comprovar algumas de suas missões como militar e engenheiro de Portugal. Alpoim trabalhou sob a orientação do engenheiro-mor do Reino e professor da Academia Militar de Lisboa, Manuel de Azevedo Fortes.
Chegou ao Rio de Janeiro em 1738, passando a trabalhar em estreita colaboração com o governador Gomes Freire de Andrade. Trabalhou no Rio, em Minas Gerais e no Rio Grande do Sul.
Em 1760, foi promovido a brigadeiro.
Entre suas obras no Rio de Janeiro contam-se a reforma do Aqueduto da Carioca e a edificação do convento de santa Teresa, do convento da Ajuda, da Casa dos Governadores (Paço Imperial), a igreja de Nossa Senhora da Conceição e Boa Morte, das casas de Teles de Meneses no Largo do Carmo (incluindo o Arco do Teles, atual Praça 15 de Novembro), do claustro do mosteiro de são Bento e de várias fortificações, entre muitas outras obras.
Em Minas Gerais, desenhou a planta da Cidade de Mariana (antiga Vila do Ribeirão do Carmo) e o Palácio dos Governadores de Ouro Preto.
Em 1752, após a assinatura do Tratado de Madri, viajou à Região Sul com Gomes Freire de Andrade para demarcar as fronteiras entre os territórios portugueses e espanhóis. Retornou ao Rio em 1759. Foi um dos governadores provisórios no período após a morte de Gomes Freire até a chegada do sucessor. Morreu em 1765 no Rio de Janeiro, estando enterrado no convento de santa Teresa.
Foi cavaleiro da Imperial Ordem de Cristo e provedor da Santa Casa de Misericórdia do Rio de Janeiro.

Agradecimentos à Profª. Drª Teresa Cristina de Carvalho Piva e ao próprio Jorge Cunha pela cessão das imagens
Ilustração de Jorge Cunha, criada tentando-se obter uma representação aproximada de Alpoim aos 50 anos de idade. A farda era a utilizada por engenheiros militares portugueses na época. A assinatura é do próprio Alpoim
Com informações da Wikipedia

PRINCIPAL